Bossa Nova, Música

Bossa Contemporânea

RL28FXPublicado originalmente em Dez. 2012

Nasci em 1978, 20 anos depois do lançamento do single “Chega de Saudade”, por João Gilberto.  O compacto marca o início de um novo gênero da música brasileira, a “bossa nova”.
A “bossa”, com seu jeito sutil e minimalista, um samba “sincopado”, cantado baixinho e abordando temas leves representava um pouquinho de Brasil.
Não um pouquinho qualquer, mas aquele pouquinho que canta e é feliz, mais especificamente Copacabana e Ipanema (na época, hoje o Leblon tomou o posto de bairro bossa nova, basta assistir qualquer novela de Manoel Carlos).
Esse pouquinho de Brasil, um tanto ou quanto elitista, é verdade, conquistou o mundo na década de 1960.  “Chega de Saudade” teve mais de 100 re-gravações por artistas nacionais e estrangeiros.  Garota de Ipanema foi gravada por expoentes da época na música internacional, como Frank Sinatra e Ella Fitzgerald.

Continuar lendo

crítica de costumes, Música, Natal

Papai Noel Rosa

papai noel rosaPostado originalmente em Dez. 2012

Não, o intuito deste post não é propor um novo bom velhinho com foco no mercado GLS, até porque o natal é uma festa cristã (apesar da indústria de bens de consumo ocuparem um espaço cada vez maior na festa), e oficialmente a igreja católica (e a maior parte das protestantes) ainda condena relacionamentos homossexuais.  Essa é uma briga que não quero comprar.

O “Papai Noel Rosa” seria uma alternativa tropical ao gorducho barbudão que vive na lapônia e a cada natal comete a proeza de entregar mais de 1 bilhão de presentes a crianças de todo o mundo (talvez um pouco menos, se descontarmos as que não se comportaram bem).  Acredito que nem a Fed Ex conseguiria tal proeza.

O Natal, do ponto de vista religioso, é a celebração do nascimento de Jesus, ao contrário da páscoa (que marca a morte), o natal promove a esperança, a união das famílias, há fartura, é uma época de celebração, não de reflexão.  Os não religiosos (ateus, agnósticos, etc) aproveitam a data da mesma forma: reúnem a família, preparam uma bela ceia e distribuem presentes.  O recém nascido Jesus, no entanto, que em teoria deveria ser a estrela da festa, acaba ofuscado por outro personagem, o Papai Noel.

Continuar lendo

Bossa Nova, Música, vida corporativa

João Gilberto e o RH

jgilberto e o rh

Publicado originalmente em Nov. 2012

As empresas multinacionais e as grandes empresas brasileiras estão cada vez mais preocupadas com seu time de colaboradores (funcionário é uma palavra proibida entre o pessoal do RH).

O acesso a capital abundante e financiamento barato diminuem as barreiras de entrada e são cada vez mais as pessoas que fazem a diferença no resultado da empresa.

Como consequência disso seus departamentos de Recursos Humanos (o antigo DP, mais um termo proibidaço) vem ganhando força.  Com cada vez mais gente e recursos, os RH se dedicam incessantemente a identificar, contratar e reter “talentos”, identificar os “gaps” dos seus profissionais, avaliar constantemente seu quadro de pessoas e montar uma “linha de sucessão”. É importante identificar os “high potentials”, de forma a treiná-los, motivá-los e remunerá-los adequadamente.

Continuar lendo